Passámos dos Doutores aos empreendedores.

Posted in fascistas, Pessoal on Abril 24th, 2013 by Rui Batista

Como é prova de vida ter um canudo, a proliferação de “doutores” é patente em Portugal. Todavia, como as elites têm que permanecer isso mesmo, elites, instou-se às adaptações necessárias à diferenciação.

  1. 1. Gentes com capacidade de inovar, de empreender, os antigos *desenrascados* são empreendedores. Malta que faz alguma coisa da vida.
  1. 2. Indivíduos dotados de conversa fluente, lata e “jogo de cintura” são empreendedores. Tratam-se dos antigos “doutores” por afinidade ou patrões de alguma coisa (falida ou não).
  1. 3. Os restantes são *colaboradores*. Empregado / funcionário é de gente que trabalha num “serviço”. Camarada é comuna e colega é dar demasiada confiança. Esta malta também costuma fazer alguma coisa da vida.

Dos Activistas Traumatizados e Outras abominações Dispensáveis à Revolução dos Costumes

Posted in fascistas on Outubro 7th, 2012 by Rui Batista

Estes são tempos férteis para o activismo de qualquer ordem, e, em particular, para o activismo da ordem contra todas as outras ordens. A rebeldia é importante. A Informação não estabelecida (e não censurada) é indispensável e a web, na sua topologia não centralizada, é o meio por excelência para a disseminação dessa informação. O grave problema é que também é uma mina de ouro para as aberrações humanoides que se aproveitam do momentinho 10-minutos-de-fama para tentarem curar os seus traumas freudianos, à custa da sanidade mental alheia.

Eles são os desconhecidos que toda a gente conhece, os anónimos que escrevem crónicas assinadas nos jornais, os asserimos críticos dos media em que se pelam por aparecer, os ideólogos da ideologia nenhuma,… Em suma, pessoas com enormes défices de atenção e que, ao fazerem o que já foi feito mas a berrar, vão tendo a auto-satisfaçãozinha necessária à sobrevivência do seu querido ide. (não podemos pedir muito) E já que aqui estamos, das suas continhas bancárias.

Cá para mim, isso dos traumas de infância resolvia-se com idas recorrentes a um psicólogo competente conjugada com a prática frequente de actividade sexual saudável, baseada no amor (próprio ou não).

E por fim deixem as pessoas sem nome em paz, elas é que estão a mudar isto, ou pelo menos a tentar. E não precisam de copiar fórmulas mágicas nem de gritar aos sete ventos que são os reis do mundo que já não há.

Aos infelizes que se sentirem visados nesta pequena crónica: vai estudar, Lê uns quantos bons livros e arranja um trabalho decente, se ainda houver. Nos entretantos livra a existência alheia das tuas doideiras bem intencionadas.

Relvas, ó Relvas

Posted in fascistas, Pessoal on Julho 17th, 2012 by Rui Batista

Fascina-me, no mau sentido, a clareza da falta de pudor da suposta elite política portuguesa. Chamar elite a Miguel Relvas, ministro e cão de fila de PPC, é necessariamente hiperbólico, não obstante foi o que saiu.

Relvas — qual novo Carlos Castro do anedotário nacional — foi operário de três ou quatro patranhas que, cada uma só por si, seriam mais razão para demissão instantânia do que os corninhos de Manuel Pinho. Foi o caso das secretas, foram as pressões inadmissíveis, não éticas e legais sobre a jornalista e o jornal público, é agora o canudo comprado na lusófona, sabe-se lá o que mais relacionado com Angola e interesses do lado intereceiro das privatisações… Espero sinceramente que o caro senhor (ainda) ministro não esteja envolvido em Casas-PIas ou semelhantes.

É claro, como águinha ao sol do meio-dia, que PPC não fará rigorosamente nada por si mesmo. Das duas uma ou as duas até: PPC é um idiota chapado com um ar fofinho, ou um sacaninha incompetentezeco, igual a Relvas e espécimes similares. Há que lembrar que tanto PPC, como Relvas, e metade dos tachistas de serviço em Portugal saíram desse seminário para aspirantes a filhos da mãe que é a JSD (leia-se Jovenzinhos saudosos d’antigamente). Portas e a amiga passam pela chuva, ora pois então.

Porque isto é um blog pessoal, e empregador que não me contrate por ler isto não será mesmo meu empregador, fica aqui uma consideração final (e desajustada como tantas outras) sobre este pseduo-liberalismo, que serve de base ideológica ao PSD e partidos da situação: “ideologismos” a mais ou a menos, julgo que vivemos numa anarquia exclusiva para filhos da meretriz que os deu à luz, com mil desculpas pela desqualificação desnecessária das progenitoras dos visados.

Merda, que isto está tudo uma grande merda, e estou farto de usar paninhos quentes.

Soluções e Valium 10

Posted in fascistas on Março 23rd, 2012 by Rui Batista

Cristo, quando pregado na cruz, deve-se ter esvaído e desvalido durante horas intermináveis.
Mais chicotada menos chicotada, a democracia em Portugal passa pelo mesmo martírio: lento e devorador, sóbrio e mobilizador de vontades.
Após mais uma carga policial ainda mais estúpida que as anteriores continua-se – mais até nas classes informadas – a defender o desdém pelos mais elementares direitos à greve e ao protesto, e a isultar o “sacrifício” pelo bem comum futuro – qual revolução cultural ao contrário – que nos leva pelo caminho da inevitabilidade. Este é o caminho da Grécia, da invasão sem armas (de guerra) e da total submissão aos interesses dum punhado de criminosos.

Perguntaram-me, hoje, por ideias, por soluções, por alternativas à greve, que, não resulta – admita-se! – por já não ser um direito universal, mesmo que consagrado. Seguem algumas, que não serão, por certo, para encher as estatísticas do portal das ideias (que nem vou linkar):

* Renegociar prazos de pagamento da dívida externa. Estes prazos e estes juros são insustentáveis, plain-old math. Caso impossível, não as pagar. Portugal ainda é um país.
* Criminalizar a gestão danosa em todas as esferas do estado. Seguir o bom exemplo da Islândia. acabar com conceitos como a imunidade parlamentar.
* Demitir todos os membros deste governo com relações com grandes interesses corporativos, principalmente estrangeiros, em particular Angolanos e Chineses. Nada contra os povos de cada país, porém a pouca democracia que temos ainda me permite afirmar que o dinheiro desses dois países é sujo, e nunca aplicado em favor dos seus povos. Provavelmente convocar novas eleições.
* Impedir, por todos os meios, pacíficos ou não, a destruição – em andamento – do serviço nacional de saúde, entre outros serviços indispensavelmente públicos.
* Agradecia-se aos militares e polícias com uma réstia de sanidade que, caso necessária tomem as medidas conducentes ao cumprimento da sua honrosa função: defender os cidadãos portugueses e o estado português de qualquer amiaça externa ou interna.

E sim, foi um discurso bonito, muito utópico e surreal. Vou tentar resumir e clarificar: os cerca de 9 meses de governação desta mistura fina de queques, incompetentes e tecnocratas metem-me nojo. São “cócó XiXi”. Até o D. Sebastião de Paris… Até esse.

Agora Valium 10.

Tags: , , ,

O Portal do “Governo” e os Nomes dos bois

Posted in fascistas on Janeiro 18th, 2012 by Rui Batista

Caros leitores imaginários: apresento-vos o Portal do “Governo”!!!!.

Além da já manifesta falta de acessibilidade – não pode! – fica aqui o meu desagrado com o tonzinho social-web-1999 da coisa. Claro que me foi difícil apreender o conteúdo do dito sítio, graças à sua famosa acessibilidade. Todavia o toque propagandista já habitual deste “governo” (empreendedor/apocalíptico – depende do intuito) está lá todinho. Não tem nada a ver mas vou agora à Wikipedia pesquisar sobre este senhor

E por falar no “governo”, e mais uma vez não tendo nada que ver, no tempo em que se chamavam os bois pelos nomes a isto do “acordo” chamava-se de corporativismo.

Tags: , , ,

Fado Futebol e Fátima

Posted in fascistas on Maio 12th, 2010 by Rui Batista

Queria (e devia) escrever algo mais substancial, as circunstancialidades da vida crónica não o permitem, seja feita a vossa vontade.

Acompanhei por interesse académico a celebração presidida pelo Papa Bento XVI no Terreiro do Paço. Assisti pela televisão, nem a confusão, nem o acontecimento me agradavam de modo a compensar a deslocação ao local do… ao local. A Homilia foi quase apenas uma defesa do taxo, como os políticos fazem em tempo de campanha. O meu respeito pela fé é tão grande como o meu respeito pela inteligência humana… E se os três “f”s são símbolos da pátria, só o fado me faz ter algumas dúvidas sobre o que tenho vindo a assistir nos últimos dias. Grandes poemas temos por esses fados. O resto (Benfica e Papa) fazem-e pensar em desistir.

Se Deus não se retirou logo após o big-bang, pelo menos em Portugal não nem passado muito.

A desenvolver…

Tags: , , ,

Se MC Snake…

Posted in fascistas on Março 19th, 2010 by Rui Batista

MC Snake morreu. Tinha 30 anos e a sua partida foi por certo uma perda irreparável para a sua família e amigos.

MC Snake não parou numa operação Stop montada pela PSP na doca de Santo Amaro, na madrugada da passada segunda-feira. Foi morto por uma bala disparada por um agente da PSP após 8 quilómetros de perseguição policial.

Ao desobedecer aos agentes da autoridade, MC Snake colocou não só a sua própria vida em risco, mas igualmente a dos agentes que o perseguiram bem como de todos os inocentes que se cruzaram com ele na estrada durante a perseguição. Arriscou-se a sofrer um acidente de viação, arriscou-se a ser atingido por uma bala da polícia que foi infelizmente o que lhe sucedeu. MC Snake teve azar, mas podia não ter sido ele, podia ter sido um inocente, polícia ou qualquer cidadão que estivesse à hora errada no local errado. Podia ter sido eu a levar com o chasso dele em cima, porque o senhor se decidiu a fugir a polícia. Podia ter sido o agente que o matou a espetar-se num poste enquanto o perseguia, e aí seria um herói, morto, a cumprir o seu dever. MC Snake foi negligente, sejam quais fossem os seus motivos.

Se MC Snake não fosse um músico conhecido (trabalhou com Sam the Kid, seu amigo) provavelmente a comunicação social divulgaria a sua morte em termos semelhantes a estes:

“Nuno Rodrigues, indivíduo com antecedentes ligados ao tráfico de droga, morreu esta madrugada após troca de tiros com a PSP no decorrer duma perseguição policial a alta velocidade nas ruas de Lisboa.”

Se MC Snake não fosse negro nem morasse em chelas, do que serviria a sua morte nas notícias? Não teríamos supostos indícios de racismo nem descriminação social, tratar-se-ia apenas dum trágico e lamentável acidente, dum momento de loucura dum cidadão perturbado que acabou mal. MC Snake poderá também ter tido um momento de loucura, poderá ter tido alguma razão lúcida para fugir às autoridades daquela maneira, poderá ter tido tudo ou nada a esconder. O inquérito das autoridades esclarecerá provavelmente todas essas dúvidas. E se se julga que o agente que baleou MC Snake ficará impune caso tenha sido culpado por negligência (intencionalidade numa perseguição policial parece-me pouco provável), será complicado, muito complicado. A pressão exercida pelos média neste país afecta muito o comportamento da nossa Justiça, ou melhor, afecta muito a justiça da nossa justiça.

Numa outra nota sobre MC Snake, e em mais uma das interessantes questões obscura nesta história (da qual MC Snake infelizmente só faz parte como instrumento mediático) repare-se nos números da participação no seu funeral:

Este artigo do público sem contar com os habituais comentários nesta publicação online, dá uma visão minimamente lúcida da posição da família e amigos. É interessante para contrastar com todo o sensacionalismo dos últimos dias que a tantas conversas de rua e café tem dado origem.

Se MC Snake… Se… Se a vida fosse feita de “ses” nada disto tinha acontecido.

Tags:

Respostas e Perguntas Democráticas

Posted in fascistas on Novembro 9th, 2009 by Rui Batista

Aqui ficam as minhas respostas a perguntas pertinentes:

  • Cuba é uma democracia? Não. Não é uma democracia. Não existem eleições livres em que todos votam do mesmo modo, por isso não é uma democracia.
  • A Coreia do Norte é uma democracia? Não. Um reinado comunista não é uma democracia, como aliás não o é qualquer regime monárquico.

E agora as perguntas:

  • São os EUA uma democracia? Não. Em pleno século XXI não possuem sistema de saúde pública, os cidadãos não votam num sistema eleitoral igualitário, apenas dois partidos se candidatam às eleições presidenciais, o governo é controlado pelo sistema financeiro, ou pior, pela máfia.
  • É o Reino-unido uma democracia? Não, trata-se dum regime monárquico. Já não vivemos no tempo das raças superiores.

My 2 cents.

Tags: , , ,

Windows 7?

Posted in fascistas, tech on Outubro 22nd, 2009 by Rui Batista

Aplaudamos. Saiu o Windows 7. Saltemos e pulemos pelo dinheiro que vamos gastar, pelas falhas que vamos comprar e pensemos, qual Lídia a Beira-rio, desta vez é que é, ou não, da próxima é que é. Mais rápido? mais seguro? Não será esse o mínimo para se lançar uma nova versão? Mover streams de audio?… Como é que se chama… pulseaudio, isso, já se usa tal coisa à mais de dois anos. Multitouch? Alguém, Apple ou que raio é, a quanto tempo? A Microsoft está a lançar o sistema operativo que deveria ter lançado em 2006 como se fosse o milagre das Rosas, reparem, eles até nos deixaram testar para, vejam lá, nos oferecerem o prazer de encontrar as falhas! Claro que depois pagamos como todos os outros, julgavam o quê?!

Tags: , ,

Democracia Americana e Iraniana

Posted in fascistas on Junho 15th, 2009 by Rui Batista

Apenas um pequeno reparo: os americanos dever-se-iam priocupar tanto ou mais com a sua democracia do que com a democracia Iraniana.

Tags: ,